Gratidão

Mas minhas idas e vindas pela internet em busca de blogs bacanudos no último mês, me deparei com um artigo que mudou minha experiência nesta vida. Eu faço aniversário no final de Setembro e é normal este mês ser um pouco intenso emocionalmente. Uns chamam de inferno astral, outros dizem que não tem nada a ver, mas eu percebo há anos que as quatro semanas que antecedem meu ano novo são mais difíceis e cheias de decisões importantes. E talvez por esta ideia ter aparecido justo neste período, ela tenha sido tão significativa.

A gratidão é um dos sentimentos mais transformadores na vida de um ser humano. Ser grato por tudo elimina o sentimento de escassez e faz a vida ficar mais leve, mais fluida, mais próspera. Enquanto só olhamos pro que falta, pro que acabou, pro que ainda não conquistamos, perdemos a oportunidade de viver o que temos, o que está do nosso lado. Sem gratidão, damos um pulo no futuro e nos frustramos com a incerteza do “como vai ser”. Ser agradecido nos ajuda a ficar no presente, a aproveitar cada minuto no agora, a construir relações duradouras e não impérios temporários. Gratidão também ajuda a ter um caráter reto, a respeitar as pessoas como gostaríamos de ser respeitados, pois quando se está no presente é muito mais fácil observar as próprias atitudes e mudar posturas que causam sofrimento.

Mas como todo sentimento bom, a gratidão precisa ser cultivada. Eu já tinha lido diversos truques mentais que ajudam a gente a permanecer no presente e a ser grato por tudo a nossa volta, mas nenhum tinha se encaixado no meu ritmo de vida tão bem como o “Pote de Gratidão”: uma idéia simples que pode mudar sua forma de ver o mundo.

Funciona assim:

Separe um pote, uma jarra, uma caixa, um cofrinho, um bowl ou qualquer objeto onde você possa colocar coisas dentro sem se preocupar em perdê-las. Eu escolhi um vidro de maionese, desses que sempre sobram em casa.

Separe um tempo pra se concentrar em coisas boas e decore o potinho com todo amor que existe no seu coração. Vale tudo: flores, pinturas, fitas coloridas, canetas, miçangas e contas! Eu decidi colocar um pouco de sal grosso pra me lembrar do mar, umas folhas secas do quintal da casa da minha mãe pra me lembrar do amor que ela me dedica desde sempre e uma pedra azul de um sino dos ventos que eu comprei há muitos anos atrás, mas que fazia tempo estava enrolado na varanda sem a chance de fazer aquele barulhinho gostoso. Também colhi uma rosa vermelha e coloquei pra secar e em breve pretendo acrescentá-la a este recipiente mágico.

Deixe papel e caneta perto do pote e todos os dias pela manhã e antes de se deitar, escreva num pedacinho de papel alguma coisa pela qual você é extremamente grata. É muito importante que você escreva uma coisa por vez e não todas de uma vez só, para que todos os dias você tenha essa sensação gostosa de abundância! Se você escreve tudo num dia só, logo esquece e aí o sentimento de escassez vem atormentar de novo, levando a gente pro futuro e gerando frustrações!

Quando o pote estiver cheio que não couber mais papeizinhos escritos, reserve um tempinho num dia gostoso e sente-se para dar atenção a cada um. Retire os papeizinhos, leia-os, pense no que está escrito e jogue fora para dar espaço pra mais gratidão entrar no potinho e na sua vida. Eu escolhi um dia de sol, sentei no quintal de casa e fiz algumas orações pra agradecer por tudo ao longo da minha vida!

Quando ser grato se tornar um hábito, eu tenho certeza que você vai querer vir aqui me contar tudo!

 

Amor, paz e bem!

Marina.

2 thoughts on “Gratidão

Deixe uma resposta